/Análise: Corinthians joga bem, trava o Santos, mas volta a mostrar pouco poder no ataque

Análise: Corinthians joga bem, trava o Santos, mas volta a mostrar pouco poder no ataque

Fábio Carille conseguiu travar o Santos com uma forte marcação no campo de ataque. Clayson, Boselli e Pedrinho apertaram a saída de bola e confundiram a defesa adversária. Mais do que isso, o Timão teve intensidade, trocou passes com rapidez e chegou com frequência à área.

– O que mais agradou foi a questão de agredir o adversário com bola, tabelas e infiltrações. A gente estava com três volantes, mas primeiro volante só o Ralf – afirmou Carille, na entrevista coletiva.

Fabio Carille, técnico do Corinthians — Foto: Marcos RibolliFabio Carille, técnico do Corinthians — Foto: Marcos Ribolli

Fabio Carille, técnico do Corinthians — Foto: Marcos Ribolli

Mas faltou força ofensiva.

O chute de Sornoza por cima do gol e a defesa de Vanderlei em finalização de Danilo Avelar, ambos antes dos 15 minutos, foram os únicos lances de perigo da equipe na primeira etapa. O Corinthians teve menos posse, mas foi mais incisivo. Em vários momentos, rondou a área santista, mas assustou pouco.

É fato que o Corinthians se acostumou a ter Gustagol na área para finalizar, sobretudo de cabeça. Boselli brigou pela bola, foi importante na marcação ofensiva, mas ainda precisa de ritmo e entrosamento para ser o goleador que Carille imagina. Tanto que não chutou nenhuma vez ao gol de Vanderlei.

O Corinthians que enfrentou o Santos, aliás, pisa pouco na área adversária. Pedrinho sequer chutou a gol. Clayson, que fez bom jogo, arriscou duas vezes e foi quem mais tentou ao lado de Sornoza, Júnior Urso e Danilo Avelar. Jadson ficou no banco após se recuperar de lesão e fez falta.

– Estamos tentando melhorar a questão do Pedrinho entrar na área. Hoje, eu tinha a ideia de, conforme o jogo, usar o Jadson na (posição) do Pedrinho. Mas aí ficou um jogo de muita transição e achei perigoso – justificou o técnico.

Boselli na partida contra o Santos — Foto: Marcos RibolliBoselli na partida contra o Santos — Foto: Marcos Ribolli

Boselli na partida contra o Santos — Foto: Marcos Ribolli

A entrada de Vagner Love, aos 19 minutos do segundo tempo, deu ao Corinthians mais poder de ataque. O “Artilheiro do Amor” quase marcou ao aplicar belo drible em Gustavo Henrique na área e parar no goleiro. Veja no vídeo abaixo:




Vagner Love faz boa jogada e chuta para defesa de Vanderlei, aos 21' do 2ºT

Vagner Love faz boa jogada e chuta para defesa de Vanderlei, aos 21′ do 2ºT

Love, porém, começa a temporada brigando pelas vagas para atuar pelos lados do campo e correndo por fora na disputa com os centroavantes. Sem Gustagol, a tendência é de que Boselli ganhe uma sequência.

Até mesmo a defesa, tão criticada por conta dos gols sofridos em jogadas pelo alto, subiu de rendimento no clássico. Apenas Cássio assustou a torcida ao errar uma saída com os pés. Por sorte, Cueva errou o toque por cobertura já dentro da área.

A atuação contra o Santos dá ao Corinthians a esperança de subir de produção para o início da terceira fase da Copa do Brasil, contra o Ceará, e o mata-mata do Paulistão.

– A tendência é ser melhor. Agora entramos em outra sequência – disse Carille.

Corinthians ainda não perdeu clássicos no ano: duas vitórias (contra Palmeiras e São Paulo) e um empate (Santos) — Foto: Marcos RibolliCorinthians ainda não perdeu clássicos no ano: duas vitórias (contra Palmeiras e São Paulo) e um empate (Santos) — Foto: Marcos Ribolli

Corinthians ainda não perdeu clássicos no ano: duas vitórias (contra Palmeiras e São Paulo) e um empate (Santos) — Foto: Marcos Ribolli