/Massacre de Suzano, as últimas notícias ao vivo

Massacre de Suzano, as últimas notícias ao vivo

Rodolfo Borges

A terceira pessoa é um adolescente, a apreensão dele já foi sugerida ao juiz da infância e da juventude e o material relacionado com a participação dele já está arrecadado”, disse o delegado-geral da Polícia Civil de São Paulo.

Rodolfo Borges

Em entrevista coletiva, o delegado-geral da Polícia Civil de São Paulo, Ruy Ferraz Fontes, confirma investigação sobre o envolvimento de uma terceira pessoa no planejamento do massacre em Suzano. Os resultados dos exames toxicológicos nos autores dos crimes ainda devem demorar algum tempo para sair, segundo ele.

Marina Novaes

Corpos de assassinos são enterrados sem velório

Os corpos dos dois assassinos, Guilherme Taucci Monteiro, 17 anos e Luiz Henrique de Castro, 25 anos, foram enterrados no início da tarde sem velório

Em entrevista coletiva nesta quinta, o tio de Luiz Henrique pediu perdão às famílias das vítimas, bastante emocionado. “Quero pedir perdão público para os pais daquelas crianças. Eu não sei o que aconteceu com o menino. Em nome da família Castro eu peço perdão. Nós também somos vítimas”, afirmou Américo Castro, 69 anos, segundo o portal G1.

Rodolfo Borges

Além de Letícia de Melo Nunes, também receberam alta Leonardo Vinícius Santana, de 16 anos, que estava no Hospital das Clínicas em São Paulo, e Beatriz Gonçalves Fernandes, de 15 anos, estava na Santa Casa de Suzano, informa o portal G1 Mogi das Cruzes e Suzano.

Marina Novaes

Bispo faz apelo por paz em velório coletivo das vítimas

O bispo de Mogi das Cruzes, dom Pedro Luiz Stringhini, fez um apelo para que as pessoas priorizem a paz, durante a celebração do ato ecumênico em homenagem às vítimas do atentado na Escola Estadual Professor Raul Brasil. A cerimônia ocorreu no início da tarde desta quinta-feira no ginásio. “A paz é fruto da justiça”, disse dom Stringhini diante do auditório cheio. Enquanto as famílias se despediam das vítimas em volta dos caixões, colocados no centro da quadra esportiva, uma fila de pessoas passava ininterruptamente para prestar as últimas homenagens. Quase 10.000 pessoas prestaram suas condolências às vítimas do massacre no velório coletivo.

Fonte: Agência Brasil

 

Marina Novaes

Corpo de coordenadora será sepultado na sexta-feira

O corpo de Marilena Ferreira Vieira Umezo, 59 anos, uma das oito vítimas do massacre de Suzano, será sepultado nesta sexta-feira, dois dias após a tragédia, porque um dos três filhos dela não está no Brasil. Ele viaja da China a Suzano e só deve chegar amanhã, segundo a prefeitura municipal. Marilena era coordenadora pedagógica da Escola Estadual Raul Brasil e foi assassinada a tiros. O corpo dela está sendo velado com outras cinco vítimas (quatro estudantes e a inspetora da escola) na Arena Suzano. A família não divulgou o local do enterro.

Nesta quinta-feira, são enterrados os corpos de sete das oito vítimas:

  • Caio Oliveira, 15 anos, estudante.
  • Claiton Antonio Ribeiro, 17 anos, estudante.
  • Douglas Murilo Celestino, 16 anos, estudante.
  • Kaio Lucas da Costa Limeira, 15 anos, estudante.
  • Samuel Melquiades Silva Oliveira, 16 anos, estudante.
  • Eliana Regina de Oliveira Xavier, 38 anos, inspetora escolar.
  • Jorge Antonio de Moraes, 51 anos, dono da locadora de veículos e tio de um dos atiradores.

Na imagem, um dos filhos de Marilena, Vinicius Umezo, é consolado por familiares no velório coletivo. Crédito da foto: Andre Penner/AP

 

EL PAÍS BRASIL

Rodolfo Borges

Segundo a agência AFP, os autores dos assassinatos foram enterrados em privacidade e com reforço policial.

Marina Novaes

Velório coletivo em Suzano recebe mais de 9.000 pessoas

Familiares e amigos de seis de oito mortos no massacre de Suzano passaram pela Arena Suzano, onde acontece o velório coletivo. Ao menos 9.000 pessoas já haviam passado no local até o início da tarde desta quarta, segundo a prefeitura municipal.

Beatriz Jucá

16 testemunhas foram ouvidas sobre ataque em escola de Suzano

A Polícia apreendeu computadores, tablets e cadernos usados pelos dois jovens autores do ataque na escola Raul Brasil, em Suzano, e ouviu 16 testemunhas até agora para tentar elucidar o crima. Segundo nota da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, equipes policiais realizaram diligências nas residências dos autores e em uma lan house, onde os dois jovens costumavam se encontrar. Lá, apreenderam equipamentos e anotações que devem ajudar os investigadores a entender a motivação do crime. As armas utilizadas pelos autores (revolver, arco e flecha e machadinha) foram apreendidas e encaminhadas à perícia.

O ataque na escola Raul Brasil deixou dez mortos, entre eles os dois autores do crime, além de 11 feridos. De acordo com a Secretaria da Saúde, sete vítimas continuam internadas. Diante do crime que chocou a cidade, a Polícia Militar reforçou o policiamento no entorno das escolas do município, que já conta com a Ronda Escolar. As informações são da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo.

O secretário executivo da Segurança Pública, Youssef Abou Chahin e o delegado geral da Polícia Civil, Ruy Ferraz Fontes, concederão entrevista coletiva nesta quinta-feira, às 17h, sobre as investigações do caso. Na imagem, um caderno encontrado no veículos dos autores do crime com a frase “não pode correr”. (FOTO: Sebastião Moreira/EFE).

Joana Oliveira

A aluna
Letícia Nunes, de 15 anos, que levou um tiro na lombar, acaba de receber alta e já encontra-se em casa. “Ela está bem e os médicos confirmaram que não há risco de sequelas”, conta por telefone ao EL PAÍS Valéria de Melo Oliveira de Jesus, mãe da adolescente. Durante o ataque na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, Letícia conseguiu enviar mensagens de áudio para Valéria: “Mãe, socorro, está tendo um tiroteio aqui! Mãe, me socorre”, disse ela.
http://cort.as/-Fl5m

Érica Saboya

Também estão internados no HC/FMUSP, Adna Isabella Bezerra de Paula, 16 anos, transferida do PSM Suzano (estável, na UTI); Jenifer da Silva Cavalcante, transferida do HC Luzia de Pinho Melo (estável, na UTI); Leonardo Vinícius Santa Rosa, 20 anos, transferido da Santa Casa de Suzano (estável, no Pronto Socorro); Murillo Gomes Louro Benites, 15 anos (socorrido ao HC/FMUSP pelo Águia, estável, na enfermaria). Os alunos Leonardo Martinez Santos que foi socorrido ao HC Luzia de Pinho Melo está estável, mas passará por cirurgia; Letícia de Melo Nunes atendida no Hospital Santa Maria, foi transferida para o Hospital Geral de Itaquaquecetuba, onde está estável e sob acompanhamento especializado de cirurgia geral.

Érica Saboya

É grave o estado de saúde de Anderson Carrilho de Brito, 15 anos, um dos feridos no atentado. Ele foi encaminhado para o Pronto Socorro Municipal (PMS) de Suzano e em seguida transferido para a Unidade de Terapia Intensiva do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. (Via Agência Brasil)

Beatriz Jucá

Pessoas aguardam do lado de fora da Arena Suzano, onde familiares, amigos e estudantes participam do funeral coletivo das vítimas mortas no ataque da última quarta-feira na Escola Raul Brasil. (Foto: Amanda Perobelli/REUTERS).

Beatriz Jucá

Governo de São Paulo indenizará vítimas de Suzano

O governador João Doria disse, em entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira, que o Governo de São Paulo vai indenizar em até 30 dias as famílias dos cinco alunos e das duas funcionárias da Escola Estadual Professor Raul Brasil mortos no ataque promovido por dois jovens em Suzano. O valor ainda está em estudo, mas o governador que estima que seja em torno de 100.000 reais por vítima. As famílias dos autores do crime, que também morreram no local, não deverão ser beneficiadas.

Érica Saboya

Pessoas fazem fila em frente à Arena Suzano para prestar últimas homenagens às vitimas do massacre. FOTO: UESLEI MARCELINO (Reuters)

Érica Saboya

O prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi, e o ministro da Educação, Ricardo Vélez, estiveram no velório nesta manhã

Érica Saboya

Parentes e amigos participam do velório coletivo em Suzano. Foto: Sebastião Moreira (EFE)

Érica Saboya

Jorge Antonio de Moraes, dono da locadora de onde os atiradores roubaram o carro utilizado na ação e tio do Guilherme, foi velado em outro local. Os atiradores Luiz Henrique de Castro e Guilherme Taucci Monteiro serão enterrados hoje

Érica Saboya

Estão sendo velados no local os alunos Caio Oliveira, 15 anos, Claiton Antonio Ribeiro, 17 anos, Kaio Lucas Costa Limeira, 15 anos, e Samuel Melquiades, 16 anos, além da coordenadora pedagógica Marilena Ferreira Umezo, 59 anos, e da funcionária Eliana Regina de Oliveira Xavier, 38 anos. O estudante Douglas Murilo Celestino está sendo velado em uma igreja da Assembleia de Deus (Via Agência Brasil)

Érica Saboya

No velório, moradores de Suzano formam fila para homenagear os mortos. A Arena foi dividida por grades, deixando um espaço reservado para as famílias. Muitos já ocupam as galerias do ginásio (Via Agência Brasil)

Érica Saboya

O velório coletivo de seis das vítimas do ataque acontece neste momento na Arena Suzano, no Parque Max Feffer. A prefeitura decretou, ontem, luto oficial de três dias na cidade

Érica Saboya

Bom dia! Retomamos agora nossa cobertura em tempo real sobre os desdobramentos do ataque em escola estadual de Suzano, que deixou oito pessoas mortas além dos dois atiradores. Siga com a gente.

Beatriz Jucá

Divulgada lista oficial de vítimas de ataque em Suzano

O ataque em Suzano deixou dez mortos e 11 feridos, segundo nota da Secretaria da Segurança Pública de São Paulo. O órgão informa que duas das pessoas que morreram já foram liberadas pelo Instituto Médico Legal aos familiares. 

Alunos da escola – todos óbito:

1. Caio Oliveira, 15 anos, estudante.

2. Claiton Antonio Ribeiro, 17 anos, estudante.

3. Douglas Murilo Celestino, 16 anos, estudante – socorrido ao Hospital de Clínicas Luzia Pinho de Melo, foi à óbito.

4. Kaio Lucas da Costa Limeira, 15 anos, estudante.

5. Samuel Melquiades Silva Oliveira, 16 anos, estudante.

Funcionárias da escola – todos óbito:

6. Eliana Regina de Oliveira Xavier, 38 anos.

7. Marilena Ferreira Vieira Umezo, 59 anos.

Atiradores – óbito:

8. Guilherme Taucci Monteiro – 17 anos 

9. Luiz Henrique de Castro – 25 anos 

Dono da locadora (tio do Guilherme)

10. Jorge Antonio de Moraes, 51 anos – transferido do PSM de Suzano para o HC/FMUSP onde foi a óbito.

Feridos

1. Adna Isabella Bezerra de Paula, 16 anos, transferida do PSM Suzano para o HC/FMUSP – estável, na emergência.

2. Anderson Carrilho de Brito, 15 anos, transferido do PSM Suzano para o HC/FMUSP – estado grave, no centro cirúrgico.

3. Beatriz Gonçalves Fernandes, 15 anos, estável no PSM de Suzano.

4. Guilherme Ramos do Amaral, 14 anos , neste momento passa por cirurgia no PS de Suzano.

5. Jenifer da Silva Cavalcante – HC Luzia de Pinho Melo, grave, porém estável, passou por procedimentos cirúrgicos e está sendo acompanhada pela equipe médica.

6. José Vitor Ramos Lemos, (Hospital Santa Maria). É o que foi atingido com o machado.

7. Leonardo Martinez Santos – socorrido ao HC Luzia de Pinho Melo – fraturou o tornozelo, será operado.

8. Leonardo Vinícius Santa Rosa, 20 anos, estava na Santa Casa de Suzano e foi transferido para o HC/FMUSP, estável no PS.

9. Letícia de Melo Nunes, (Hospital Santa Maria – transferida para Hospital Geral de Itaquaquecetuba) – estável e sob acompanhamento especializado de cirurgia geral.

10. Murillo Gomes Louro Benites, 15 anos – socorrido ao HC/FMUSP pelo Águia, estável no PS.

11. Samuel Silva Félix (Hospital Santa Maria).

Beatriz Jucá

Marina Novaes

Gil Alessi

Em um grupo de discussão conhecido por ter posts racistas e misóginos na Deep Web (a Internet que não é indexada pelo Google) alguns usuários comemoraram o massacre.

Beatriz Jucá

Filho do presidente Jair Bolsonaro, o senador Flávio Bolsonaro relacionou o crime de Suzano a um suposto fracasso do estatuto do desarmamento. “Mais uma tragédia protagonizada por menor de idade e que atesta o fracasso do malfadado estatuto do desarmamento, ainda em vigor”, escreveu no Twitter, mais de sete horas após o caso ser veiculado na imprensa.

https://twitter.com/FlavioBolsonaro/status/1105904599561658368?ref_src=twsrc%5Etfw

Beatriz Jucá

Sete horas depois do crime, a Presidência da República divulgou uma nota de pesar pelo ataque na escola em Suzano e se colocou à disposição para ajudar na elucidação do crime. “Mais uma vez, nosso país é abalado por uma grande tragédia. O Governo Federal manifesta seu profundo pesar com os fatos ocorridos na cidade de Suzano, em São Paulo, apresentando suas condolências e sinceros sentimentos às famílias das vítimas de tão desumana ação. Ao Estado de São Paulo, colocamos nosso total apoio para auxiliar na apuração dos fatos”, diz a nota assinada pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência. O presidente também se manifestou no Twitter.

https://twitter.com/jairbolsonaro/status/1105906225433194498?ref_src=twsrc%5Etfw

Beatriz Jucá

O secretário de educação de São Paulo, Rossieli Soares, disse em entrevista coletiva que a escola Raul Brasil estava aberta para ex-alunos que quisessem retornar e visitá-la, mas foi surpreendida pelo ataque. Segundo ele, o adolescente Guilherme Taucci Monteiro, um dos autores do crime, estudou na escola durante dois anos e era um “aluno quieto”, que não apresentava “maiores problemas”. Rossieli disse não ter informações de conflitos graves na escola de Suzano, mas que este é um problema em geral nas instituições de ensino e que se costuma resolvê-lo na própria escola. “Violência contra professores e bullying são casos comuns”, afirma. Ele diz que o Governo do Estado discute medidas para aumentar a segurança nas escolas públicas.

Beatriz Jucá

Os corpos das vítimas serão encaminhados ao Instituto Médico Legal de Suzano e de Mogi das Cruzes. A Prefeitura de Suzano montou um espaço de acolhimento aos familiares das vítimas na Associação Cultural Suzanense Bunkyo, no centro da cidade.

Beatriz Jucá

O comandante da Polícia Militar, Coronel Marcelo Salles, diz que foi feita uma reconstituição do crime na escola com a presença de funcionários, além da perícia técnica. Isso trará mais informações para elucidar detalhes sobre o ataque.

Beatriz Jucá

O comandante da Polícia Militar, Coronel Marcelo Salles, diz que os dois ex-alunos entraram na escola e atiraram nas duas funcionárias. “Tivemos três ataques como este em São Paulo: o do Shopping Morumbi, da catedral de Campinas e agora na escola”, enumera. O perfil deste crime, afirma, é de atirar de maneira aleatória procurando atingir o máximo de vitimas. Na escola de Suzano, foram utilizados um revólver, um arco e flecha e uma machadinha.

Beatriz Jucá

Um dos atiradores, Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, teria deixado a escola no ano passado antes do fim do ano letivo. A informação é do secretário de segurança João Camilo. O outro autor do crime seria Luiz Henrique de Castro, de 25 anos.

Beatriz Jucá

Polícia diz que há possibilidade de um dos autores não ter se suicidado

Os atiradores teriam visto policiais com escudos, quando foram disparados mais dois tiros, diz o secretário de segurança João Camilo. Segundo ele, há a possibilidade de que um dos atiradores tenha se suicidado, e o outro tenha sido “eliminado”.

Beatriz Jucá

Cinco alunos, dois funcionários, o dono da locadora e os dois atiradores morreram durante o ataque.

Beatriz Jucá

O estudante Douglas Murilo Celestino morreu dentro do Samu, a caminho do hospital.

Beatriz Jucá

Autoridades policiais identificam dez mortos em ataque a escola

A coordenadora Marilena Vieira Umezo e a funcionária Eliana Regina de Oliveira Xavier morreram durante o ataque a tiros na escola estadual, informa o secretário de segurança pública de São Paulo, João Camilo Pires de Campos. “Perdemos cinco alunos”, diz. Morreram no ataque os estudantes do ensino médio Pablo Rodrigues, Cleiton Antônio Ribeiro, Caio Oliveira, Samuel Melquíades Silva de Oliveira e João Victor Ramos Lemos.

Beatriz Jucá

O acesso de Guilherme Taucci Monteiro ao colégio teria sido pelo contato com a coordenadora pedagógica, a primeira vítima. Camilo Pires de Campos diz que os dois jovens tentaram entrar no centro de línguas, onde estavam dezenas de alunos, mas não conseguiram entrar.

Beatriz Jucá

Atiradores eram ex-alunos da escola, diz investigadores

O secretário de segurança pública de são Paulo, João Camilo Pires de Campos, diz em coletiva que atiradores seriam ex-alunos da escola. Atiraram em Jorge Antonio Morais, dono de uma locadora de veículos, roubaram um carro de modelo Onix e seguiram para a escola onde atiraram em alunos e funcionários.

Talita Bedinelli

O outro atirador é Luiz Henrique de Castro, de 25 anos. Eles eram vizinhos, moravam na mesma rua, informa Joana Oliveira.

Talita Bedinelli

A polícia está na porta da casa de Guilherme Taucii Monteiro, de 17 anos, um dos autores do crime, segundo as investigações. A repórter Joana Oliveira está no local e falou com vizinhos, que contam que ele nasceu na rua e “parecia um rapaz tranquilo” e que a família “nunca se meteu em confusão”

Beatriz Jucá

Talita Bedinelli

A informação oficial, dada pelo comandante da PM, Marcelo Salles, e pelo governador João Doria (PSDB) é de que eles cometeram suicídio. Mas, segundo a TV Record, há informações de que os dois agressores não se mataram e, sim, foram mortos por um policial civil que passava pelo local e escutou os tiros.

Talita Bedinelli

O estudante Rafael, 15 anos, conta, ainda muito abalado e descalço, que ouviu os tiros e saiu correndo pela quadra de esportes. “Deu para perceber que eles começaram pela diretoria”, diz, em relato a Joana Oliveira.

Talita Bedinelli

A filha de Valéria, diz a repórter Joana Oliveira, acaba de ser transferida para a Santa Casa de Suzano. Para o hospital Santa Maria, ao lado da escola, foram levados sete feridos, entre eles um aluno em estado grave, que foi atingido por uma flecha e está em estado grave. Ele passará por cirurgia nesta tarde.

Talita Bedinelli

A repórter Joana Oliveira também entrevistou, no hospital Santa Maria, ao lado da escola onde ocorreu o massacre, a dona de casa Valéria de Melo Oliveira Jesus, de 41 anos. Ela aguarda para ver sua filha de 15 anos, estudante do primeiro ano, que está internada. Ela foi atingida com um tiro na lombar, mas está fora de risco. No momento do ataque, a jovem mandou um áudio para a mãe, em que pedia ajuda: “Mãe, socorro, está tendo um tiroteio. Vem me socorrer”, afirmava a estudante. A mulher estava em casa, entrou em desespero e correu para o local. Ela já conseguiu falar com a filha, que está em estado de choque.

Beatriz Jucá

Polícia Militar confirma dez mortes no ataque à escola estadual Raul Brasil, em Suzano. O número inclui os dois responsáveis pelos disparos. Um total de oito pessoas morreram no local do crime e mais duas vítimas foram socorridas, mas não resistiram. A PM não dá detalhes sobre os feridos que morreram após receberem socorro e informa que o governador dará novas informações durante coletiva de imprensa, às 14h.

Talita Bedinelli

Joana Oliveira, que está em Suzano, também falou com J.C, 16 anos, aluna do segundo ano. “Estávamos merendando e escutamos o barulho. Achamos que eram bombinhas no banheiro. Até que vimos um deles com uma arma e nos jogamos todos no chão. Vi ainda um com um machado, que acertou uma colega na região da clavícula, Conseguimos correr para a secretaria e de lá sair da escola. Abalada, ela afirma que teve um colega morto.

Marina Novaes

Beatriz Jucá

Talita Bedinelli

A repórter Joana Oliveira está no local. Ela entrevistou a merendeira Silmara Moraes, de 49 anos, que trabalha há dez anos na escola. Contou que estava servindo a merenda no refeitório, que estava cheio de alunos no momento. Escutou os tiros, mas não viu os atiradores. Ela e as colegas, então, abriram as portas da cozinha para que os alunos entrassem e se protegessem. “Foram 15 minutos de pânico, acho que conseguimos colocar dentro uns 50 ou 70 alunos”. Todos só saíram do local quando a polícia chegou.

Beatriz Jucá

Um aluno chamado Lucas Alves, de 16 anos, disse em entrevista à imprensa que ouviu “uns quinze barulhos de tiro” durante o ataque na escola de Suzano. A tia permitiu que ele concedesse a entrevista. Segundo Lucas, apenas um dos adolescentes estava armado. Lucas diz que o ambiente da escola era tranquilo e que desconhecia ameaças ou conflitos mais graves entre os colegas.

Marina Novaes

Desencontro de informações sobre o número de vítimas:

A Polícia Militar chegou a confirmar na TV que eram dez o número de mortos, informação que chegou a ser divulgada nas redes sociais da PM, mas o tuíte foi deletado. Oficialmente a PM confirma, portanto, nove mortes, incluindo os dois atiradores, quatro alunos do ensino médio e duas funcionárias da escola.

Beatriz Jucá

O hospital Luzia de Pinho Melo, em Mogi das Cruzes, confirma a morte de uma nona vítima do ataque na escola de Suzano. Segundo a assessoria de imprensa, a unidade hospitalar recebeu duas vítimas. Uma delas veio a óbito e a outra está em estado grave, porém estável. A Polícia Militar também já havia confirmado ao EL PAÍS que um dos feridos socorridos havia falecido.

Beatriz Jucá

A prioridade agora é desmantelar os artefatos explosivos que teriam sido identificados dentro da escola. Por volta das 14h, as autoridades policiais darão mais informações sobre o ataque a tiros que deixou pelo menos oito mortos em Suzano, conforme fontes policiais.

Beatriz Jucá

O governador João Dória diz que a Polícia demorou oito minutos para chegar ao local a partir do momento em que foi acionada. “Aparentemente os autores não são ex-alunos”, diz o governador, mas as investigações ainda estão em curso. Até o momento, a polícia confirma oito mortos de pessoas entre 20 e 25 anos no ataque.

Beatriz Jucá

Um revolver calibre 38 e uma arma medieval com flechas teriam sido utilizadas pelos dois adolescentes autores do ataque. O Grupo de Ações Táticas Especiais está lá dentro da escola fazendo uma varredura porque foram encontrados artefatos explosivos, informa o Coronel Sales. “O Gate está fazendo essa verificação agora”, diz.

Beatriz Jucá

Coronel Sales, da Polícia Militar, fala que o ataque foi uma ocorrência gravíssima e expõe o que se sabe sobre o crime. Ele diz que os adolescentes atiraram na coordenadora pedagógica e em outra funcionária e que ingressaram na escola na hora do lanche. Atiraram em mais quatro alunos do Ensino Médio e se dirigiram ao centro de línguas, mas a professora e os alunos que estavam no local se trancaram na sala. Os dois atiradores teriam se suicidado no corredor.

Beatriz Jucá

Dória diz que a polícia está trabalhando na cena do crime e identificando as vítimas.

Beatriz Jucá

O governador João Dória, que está no local do crime, dá entrevista coletiva neste momento. “Com profunda tristeza, estou muito impactado com o que vi nesta escola, uma cena muito triste com oito vítimas. Quatro adolescentes brutalmente assassinado, dois funcionários e dois homicidas que se suicidaram”, diz. O governador presta sua solidariedade aos familiares das vítimas.

Beatriz Jucá

A Policia está esvaziando a escola em Suzano neste momento por suspeita de que há um artefato no local, informa a repórter Joana Oliveira.

Beatriz Jucá

PM confirma nove mortes em ataque em escola de Suzano A Polícia Militar confirmou nove óbitos em ataque a tiros na escola de Suzano. Além das oito pessoas que morreram no local – entre elas os dois adolescentes autores dos disparos, uma das vítimas socorridas foi a óbito. Ao todo, oito feridos foram encaminhados a dois prontos socorros da cidade. Não há informações sobre o estado das sete pessoas que ainda estão em atendimento nem sobre a identidade da vítima que morreu.

Talita Bedinelli

Segundo a TV Record, antes de entrar na escola, os atiradores alvejaram o tio de um deles do lado de fora do prédio. Não há informações sobre o estado de saúde dele. Com os jovens, ainda de acordo com a emissora, a polícia localizou um arco e flecha e um coquetel molotov.

Beatriz Jucá

O governador João Dória já está no local.

Beatriz Jucá

A Polícia Militar informa que vários feridos do atentado a tiros estão sendo levados para dois prontos socorros locais: a Santa Casa e Santa Maria de Suzano. A PM diz que ainda trabalha no levantamento das vítimas e, portanto, não há dados oficiais sobre o número total de feridos nem de óbitos.

Érica Saboya

A polícia está orientando os familiares de alunos da escola a se dirigirem ao Caps (Centro de Atenção Psicossocial) do bairro para receberem informações e assistência dos órgãos públicos

Érica Saboya

Entre os oito mortos confirmados pela polícia estão cinco estudantes da escola, um funcionário e os dois adolescentes que se mataram após os assassinatos

Érica Saboya

Marina Novaes

Dois adolescentes invadiram a Escola Estadual Raul Brasil de Suzano, na Grande São Paulo, e dispararam contra estudantes e funcionários.