/Bruno Henrique é só advertido por expulsão contra o Vasco e volta ao Flamengo na semifinal do Carioca

Bruno Henrique é só advertido por expulsão contra o Vasco e volta ao Flamengo na semifinal do Carioca

Bruno Henrique está liberado para voltar ao Flamengo na semifinal do Campeonato Carioca, contra Bangu ou Fluminense – dependendo do resultado da final da Taça Rio. O atacante foi julgado nesta sexta-feira no Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD-RJ), pela expulsão no clássico contra o Vasco no último dia 9, e foi apenas advertido. Ele, porém, ainda terá outro julgamento, ainda sem data marcada, pelo cartão vermelho contra o Fluminense na última quarta-feira.

O atacante recebeu o segundo cartão amarelo após o fim da partida por reclamação (veja no vídeo acima). Na súmula, o árbitro Wagner Magalhães do Nascimento relatou o que ouviu do jogador: “Você é fraco e não apita nada”. Bruno Henrique foi enquadrado no artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), por “assumir conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva”, e poderia ser suspenso por seis jogos, mas pegou um convertido em advertência por unanimidade.




Expulso! Bruno Henrique acerta Gilberto e leva o cartão vermelho, aos 49' do 1º tempo

Expulso! Bruno Henrique acerta Gilberto e leva o cartão vermelho, aos 49′ do 1º tempo

No entanto, dependendo da data do novo julgamento, Bruno Henrique ainda pode ficar fora dos jogos da decisão do Carioca, caso o Flamengo chegue até lá. O atacante deve ser enquadrado por “jogada violenta” após ter acertado o joelho de Gilberto com as travas da chuteira na última quarta-feira (veja no vídeo acima). E como já foi advertido nesta sexta, ele não será mais réu primário quando voltar a ser julgado e não poderá mais ser advertido: terá que ser punido ou absolvido.

Por sua vez, o preparador físico Alexandre Sanz, também enquadrado no artigo 258 do CBJD, pegou um jogo de suspensão e não poderá ficar no banco na final da Taça Rio. Bruno Henrique é um dos destaques do Flamengo na temporada, com seis gols e seis assistências, sendo um dos artilheiros do time no Carioca empatado com Gabigol. O atacante não esteve no tribunal no julgamento desta sexta-feira e foi defendido pelo advogado Michel Assef Filho.

Ausente do julgamento, Bruno Henrique foi defendido por Michel Assef Filho — Foto: Elise Duque/Assessoria TJD-RJAusente do julgamento, Bruno Henrique foi defendido por Michel Assef Filho — Foto: Elise Duque/Assessoria TJD-RJ

Ausente do julgamento, Bruno Henrique foi defendido por Michel Assef Filho — Foto: Elise Duque/Assessoria TJD-RJ