/Guedes prevê enxurrada de ‘notícias boas’ após reforma da Previdência

Guedes prevê enxurrada de ‘notícias boas’ após reforma da Previdência

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

 

A expectativa do ministro da Economia, Paulo Guedes, é que ocorra uma “enxurrada de notícias bosa” no segundo semestre deste ano, quando, segundo ele, deverá ser aprovada a reforma da Previdência.

Ele também classificou de barulho as notícias sobre o mau resultado do Produto Interno Bruto (PIB) este ano, garantindo que as expectativas vão se reverter rapidamente após a aprovação da reforma.

As declarações ocorreram durante o 91º Encontro Nacional da Indústria da Construção (Enic), nesta sexta-feira (17), quando Guedes também garantiu que o governo fará um choque da energia barata, entre 30 a 60 dias, para ajudar a economia.

“O choque da energia barata, se cortar o gás pela metade do preço, permite a reindustrialização do Brasil. Hoje o gás é queimado, quando se retira o petróleo. Só a Vale está dizendo que vai investir US$ 20 bilhões nos próximos 10 anos, para fazer os gasodutos. Tem muita coisa positiva vindo por aí. Nós estamos tentando manter o foco. A bola está na marca do pênalti. Chutou a bola para dentro, vai começar uma enxurrada de notícias boas, que nós estamos preparando para o segundo semestre”, disse.

O ministro, que subiu ao palco do evento com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), elogiou a participação do Congresso na condução da reforma da Previdência, considerada por ele como “a mãe das reformas”.

“Nós estamos muito confiantes na liderança dele [Rodrigo Maia] na Câmara dos Deputados, no apoio político que estamos recebendo lá. Rodrigo tem sido muito construtivo como presidente da Câmara. O [senador e presidente do Senado] Davi Alcolumbre [DEM-AP] também nos tem dado todo apoio. Se fizermos uma reforma de R$ 1 trilhão, nós temos potência fiscal para lançarmos um sistema de capitalização logo depois. E este sistema de capitalização bota o Brasil para crescer. A reforma da Previdência clareia os horizontes para investimentos privados, internos e externos. Na hora em que aprovar, os recursos começam a vir”, disse Guedes.