/Operação apreende fuzis, drogas, prende um dos chefes do tráfico e deixa um morto no Complexo da Maré

Operação apreende fuzis, drogas, prende um dos chefes do tráfico e deixa um morto no Complexo da Maré

Uma operação conjunta dos policiais civis e militares apreendeu nesta quinta-feira (18), no Complexo da Maré, Zona Norte do Rio, 30 armas, sendo 28 armas longas (fuzis e metralhadoras), duas de calibre 12, um revólver e uma pistola e mais cinco toneladas de drogas, incluindo 172 quilos de pasta base que poderiam virar 860 quilos de cocaína.

Em entrevista coletiva após o fim da operação, o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), disse que essa foi a maior apreensão de armas e drogas da história do estado.

“A Polícia Militar já tinha informações da possível localização do paiol onde estava o armamento e com a ajuda dos cães, logrou êxito então ao encontrar as armas e as drogas. Eu fico extremamente satisfeito de ver o desempenho dessas forças. “, disse Witzel

O governador destacou que o material apreendido é usado por o que chamou de terroristas financiados por cartéis internacionais.

“Essas armas que aqui estão[CICC] não são armas utilizadas por pessoas que moram na comunidade e que são trabalhadoras. Não são armas utilizadas por pretos, pobres e favelados. São armas usadas por terroristas que utilizam a comunidade como escudo e utilizam um poder de fogo bélico e estão sendo patrocinados por cartéis internacionais. ”

Witzel disse ainda que a polícia não vai facilitar e mandou recado para os criminosos.

“O recado está dado: Não enfrente a polícia. Se enfrentar a polícia só tem dois caminhos. Será preso ou será morto. Nós não teremos leniência e não teremos piedade com que não tem respeito com o ser humano alheio, com a sociedade e não tem respeito com os nossos policiais.”

O governador disse ainda que o objetivo é diminuir os roubos de carro e de carga na região da Maré.

Governador Wilson Witzel participa de entrevista coletiva na sede do CICC — Foto: Ari Peixoto/ TV Globo Governador Wilson Witzel participa de entrevista coletiva na sede do CICC — Foto: Ari Peixoto/ TV Globo

Governador Wilson Witzel participa de entrevista coletiva na sede do CICC — Foto: Ari Peixoto/ TV Globo

Chefe do tráfico, granadas e armas personalizadas

Durante a ação desta quinta, um homem que seria o segundo na hierarquia do tráfico no Parque União foi preso durante a ação e um suspeito ainda não identificado foi morto. Outros quatro criminosos também foram presos.

Entre as armas, algumas são personalizadas com as cores do Flamengo e outras com adesivos de personagens de jogos eletrônicos, como Super Mário e Luigi. A polícia também recuperou grande quantidade de munição e 75 granadas.

O delegado Marcus Amim, titular da Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme) comemorou a ação.

“Colocamos no mapa alguns endereços, distribuímos a tropa no campo de atuação e conseguimos chegar nesse resultado expressivo. Um resultado que não teve efeito colateral, onde houve só um enfrentamento.”, disse

Armas apreendidas na Maré nesta quinta-feira (18) — Foto: Ari Peixoto/TV GloboArmas apreendidas na Maré nesta quinta-feira (18) — Foto: Ari Peixoto/TV Globo

Armas apreendidas na Maré nesta quinta-feira (18) — Foto: Ari Peixoto/TV Globo

Armas apreendidas no Complexo da Maré em operação — Foto: Ari Peixoto/ TV GloboArmas apreendidas no Complexo da Maré em operação — Foto: Ari Peixoto/ TV Globo

Armas apreendidas no Complexo da Maré em operação — Foto: Ari Peixoto/ TV Globo

A operação envolveu a Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme), com o apoio da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC) e da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE), e da Secretaria de Estado de Polícia Militar (SEPM).

Equipes do Batalhão de Ações com Cães (BAC) e do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) atuaram na comunidade Nova Holanda.

Segundo o governo do estado, agentes da Desarme prenderam Adriano Cruz de Oliveira, conhecido como Adriano Gordinho, segundo homem na hierarquia do tráfico de drogas na comunidade Parque União e o principal aliado do chefe do tráfico local.

Segundo informações da polícia, ele foi condenado a mais de 35 anos de prisão, era foragido da justiça e foi capturado na comunidade.